Alguma destas imagens lhe é familiar?


Rosalía de Castro
1
951

Na Praça da Galiza
Vimara Peres 
1968
No Terreiro da Sé
Garrett
1951
Praça General Humberto Delgado















Sabia que o autor destas esculturas foi também director do Museu Nacional de Soares dos Reis?

Salvador Barata Feyo, escultor e professor na Escola de Belas Artes do Porto, foi director do Museu Nacional de Soares dos Reis (MNSR), entre Outubro de 1950 e Março de 1960.
Durante esse período revolucionou a política de aquisições do Museu e implementou um programa inovador de Exposição Permanente, sob o princípio da Arte comparada. Foi também sob a sua direcção que boa parte da obra de Soares dos Reis - hoje podemos ver em exposição no Museu - foi passada a bronze. 
Ao adquirir obras a artistas seus contemporâneos, Barata Feyo mudou radicalmente a relação destes com o MNSR. A esse ímpeto de actualização da colecção de pintura do Museu se deve a possibilidade de, na sua exposição permanente, se apresentar hoje uma área dedicada à produção artística da primeira metade do século XX.

Casas de Malakoff-Paris 

Dordio Gomes, 1923 
Óleo sobre tela 
54,3 x 65,2 cm 
Inv. nº 983 Pin MNSR

Alto dos Sete Moinhos 
João Hogan, 1954 
Óleo sobre tela 
72,5 x 100 cm 
Inv. nº 1036 Pin MNSR
Adquirido ao artista em 1955

Está actualmente em curso um trabalho de investigação sobre a política de aquisições do Museu Soares dos Reis durante a direcção de Salvador Barata Feyo*

Cabeça de rapariga
Francisco Franco, 1923
27,5 x 16,2 x 23,5 cm
Inv. nº 294 Esc MNSR
Adquirida em 1958
A leitura intensiva da documentação existente no Arquivo do Museu, relativa a esta época, revelou já aspectos surpreendentes sobre a história da Instituição e das colecções. Em breve saberemos mais notícias e traremos às galerias do Museu outras obras adquiridas por Barata Feyo, que estão actualmente em reserva.

Lisboa e o Tejo
Carlos Botelho, 1950
54,5 x 73,5 cm
Inv. nº 1009 Pin MNSR
Adquirida em 1953
Esta obra está actualmente em reserva

*Este estudo está a ser realizado por Ana Temudo Gaio Lima, sob a orientação da Professora Elisa Noronha, no contexto de um estágio curricular do curso de Mestrado em Museologia da Faculdade de Letras da UP, ao abrigo de uma parceria estabelecida entre o Museu e a Universidade do Porto.